Página Principal Presidente Presidente Honorário Partido Media Center Contactos Siga-nos!
 

Notícias PS/Açores

Resultados no Turismo são fruto da parceria bem-sucedida entre políticas públicas e a adesão dos empresários, afirma Vasco Cordeiro


Vasco Cordeiro participa em iniciativa online com jovens Açorianos


“Açores Primeiro! Todos Contam” apresenta propostas para o futuro da Região


Eleições de 25 de outubro são oportunidade para os Açorianos darem mais força à Autonomia, afirma Vasco Cordeiro


Artigos de Opinião

Francisco Coelho Francisco Coelho
"Ser ou não ser…"
2020-09-26
Hernâni Bettencourt Hernâni Bettencourt
"Bolieiro: de fato preto nunca me comprometo!"
2020-09-26
Lara Martinho Lara Martinho
"Recuperação e Resiliência"
2020-09-26
José Contente José Contente
"Votar PS"
2020-09-24
Sónia Nicolau Sónia Nicolau
"Mais manutenção de emprego e menos economia paralela"
2020-09-24
Mariana Matos Mariana Matos
"Juntos"
2020-09-20
Francisco Coelho Francisco Coelho
"Concertação"
2020-09-19
ESTÁ AQUI:Media Center»Opinião
João Aguiar

Opinião

"Mentira ou incompetência"

João Aguiar
2012-03-30

 

A líder do PSD/Açores, Berta Cabral, perante as afirmações que tem vindo a proferir de forma desenfreada nas inúmeras ações de campanha eleitoral realizadas quase diariamente, demonstra que a alegada competência que lhe era conferida por muitos potenciais eleitores, não passa de um perfeito bluf.
A senhora candidata profere afirmações que denotam inequivocamente um enorme desconhecimento da realidade da Região e dos dossiers relativos à governação o que a leva a proferir afirmações completamente desprovidas da verdade que, aparentam apenas o desejo de iludir os açorianos, recorrendo à falta de verdade, quiçá motivada pela falta de preparação para o cargo a que se pretende apresentar, para atacar sistematicamente o governo atual.
Exemplo claro está espelhado nas declarações de Berta Cabral após a visita que efetuou à escola B 1,2,3,/JI de Furnas aonde debitou um chorrilho de inverdades que denotaram de forma clara um desconhecimento absoluto da realidade da educação nos Açores.
A candidata laranja afirmou, segundo o que esta escrito no site do PSD:
“O PSD é claramente a favor de concursos anuais. Um concurso de quatro em quatro anos não é justo, não é adequado e não pode ser desculpável só porque dá menos trabalho [ao governo]. Estamos cá todos para trabalhar”, disse.

Berta Cabral frisou que a realização de concursos anuais, tal como sucede no resto do país, constitui a forma “mais adequada e justa de todos os anos os professores terem uma oportunidade de concorrer para escolas que fiquem mais próximas do local onde residem”.

“ [Os concursos anuais] dão estabilidade à escola e às famílias, porque os professores têm família e é humano que se queiram aproximar dos seus familiares, não tendo que esperar quatro anos. Os professores podem assim ter a sua vida estabilizada mais cedo, pois podem concorrer todos os anos para as vagas existentes”, afirmou.
Cláudia Cardoso, Secretária Regional da Educação e Formação, através do telejornal da RTP/Açores denunciou o profundo desconhecimento de Berta Cabral e à pergunta do jornalista acerca da afirmação da líder laranja de que os concursos de professores iriam deixar de se realizar anualmente, de forma clara e direta esclareceu:
- “Há outra declaração que me parece profundamente conflituosa com aquilo que é a realidade, porque a Dra. Berta Cabral acaba por afirmar que ao contrário do que acontece no continente, os Açores passam a ter um concurso de 4 em 4 anos, quando no continente é anual. Ora isso é absolutamente falso, não é verdade. É mentira que no continente haja um concurso anual. Desde 2009, o continente e a Região Autónoma da Madeira têm concursos quadrienais. A única Região do país que mantinha o concurso anual eram os Açores. Neste momento a estabilidade alcançada no nosso sistema de ensino ao nível da docência e da colocação dos quadros, coisa que nunca foi conseguida durante 20 anos pelo PSD, que nunca tiveram medidas que favorecessem essa estabilidade, e porque essa estabilidade existe é possível colocar o acesso ao concurso externo e ao concurso interno de 4 em 4 anos. No entanto, e mesmo assim, mantivemos quer a contratação ao nível da afetação interna, que significa aqueles docentes que querem fazer a aproximação à residência, às suas famílias, a anualidade, o que significa que para esses docentes, contratados quer no que diz respeito à afetação continua a ser anual. A única que é quadrienal é o de acesso externo, ou seja os docentes que não sendo dos quadros, queiram passar a integrá-los. Portanto aquilo que me parece é que em política não vale tudo e apesar de estarmos em período pré-eleitoral isto não deve ser razão para proferirmos afirmações que confundem os açorianos e que efetivamente não correspondem à verdade dos factos.”
Clara como água cristalina!
Gostaria de deixar um repto à ainda líder do PSD: Pergunte aos pais e encarregados de educação se preferem que os seus filhos tenham o mesmo professor do primeiro ao quarto ano de escolaridade ou se consideram mais benéfico que todos os anos mudem de professor.
Berta Cabral na já habitual postura de tentar agradar a gregos e a troianos, quis ser simpática aos professores porém, esqueceu que a escola deve viver e atuar tendo sempre os alunos como razão primeira da sua existência.


 

Mais Artigos

Sónia Nicolau Rentrée: o regresso à rotina - andará sozinho!



José San-Bento Maioria positiva



Mariana Matos Factos



João Castro EMA



Francisco Coelho Haja Saúde



Hernâni Bettencourt Diferenças esclarecedoras



José Contente Lutar e ganhar



Carlos Silva A “bazuca” Açoriana



<< < > >>

Arquivo Histórico do PS/Açores
PSA TV - Canal YouTube Ps/Açores

 
HomeNotícias | Media Center | Agenda | OpiniãoPartido | Presidente | Grupo Parlamentar ALRAA | Deputados AR | Deputados PE | Documentos | Links | Contactos
 
Sede Regional - Bairro da Vitória - Rua Dr. Armando Narciso, nº 5 – S. José - 9500-185 Ponta Delgada
Partido Socialista Açores © Todos os Direitos Reservados