Página Principal Presidente Presidente Honorário Partido Media Center Contactos Siga-nos!
 

Notícias PS/Açores

Governo dos Açores anula concurso para construção de navio e direciona 48,2 milhões de euros para saúde, emprego e economia


Conferência de Imprensa do Presidente do Governo Regional dos Açores


Mensagem do Presidente do Governo Regional dos Açores


Governo dos Açores avança com medidas de apoio aos estudantes Açorianos deslocados


Artigos de Opinião

Sónia Nicolau Sónia Nicolau
"A ocupação da terra tem muito de opções políticas"
2020-04-08
José Contente José Contente
"Privatizar?"
2020-04-08
Vílson Ponte Gomes Vílson Ponte Gomes
"Ponto de viragem"
2020-04-07
José San-Bento José San-Bento
"Ousadia ou Prudência?"
2020-04-06
Francisco Coelho Francisco Coelho
"Corsário"
2020-04-04
Lara Martinho Lara Martinho
"ESTADO DE EMERGÊNCIA REFORÇADO"
2020-04-04
José Ávila José Ávila
"A vida em tempos de crise"
2020-04-04
ESTÁ AQUI:Media Center»Opinião
José San-Bento

Opinião

"A Resposta Tardia"

José San-Bento
2010-11-11

 

Um dos piores erros que um político pode cometer é fugir do esclarecimento público quando confrontado com polémicas. Esconder-se atrás do silêncio à espera que a “tempestade” passe cria a ideia que há algo a esconder.

Na última semana foi esse erro de cálculo político que a Presidente da Câmara de Ponta Delgada cometeu. Apetece perguntar que “tropas” e que “generais” a acompanham? Onde pára o experiente e arguto Humberto Melo?

Apesar de tudo, o silêncio de Berta Cabral, sobre o polémico Relatório da auditoria do Tribunal de Contas (TC) à empresa municipal Acção PDL, podia ter uma virtude: uma vez quebrado seria esclarecedor e encerraria a polémica.

Não foi o que aconteceu. Berta Cabral confundiu um dever com uma opção e sete (7) dias após a polémica, uma eternidade mediática, finalmente falou. Perdeu várias oportunidades.

Desde logo a oportunidade de afirmar coerência com as preocupações de despesismo que ainda bem recentemente o PSD-A denunciou e que o líder nacional elegeu como bandeira. Depois, a oportunidade de manifestar humildade e capacidade de retirar as devidas ilações sobre as “irregularidades” que o TC aponta e o que tem de mudar. E também a oportunidade de falar claro e à altura do Relatório, estão em causa compromissos assumidos pela Acção PDL, entre 2009 e 2010, superiores a 37 milhões de euros.
O verdadeiro problema de Berta Cabral com o Relatório do TC é que ele constitui um golpe fatal num certo endeusamento da sua pessoa. Muitos sabiam a real natureza do “Bertismo” autárquico mas faltava uma chancela soberana. O relatório do TC fez precisamente isso, caucionou as críticas de despesismo e endividamento irresponsável da CMPD. Tudo não passou de um sonho, afinal Berta Cabral é o que sempre foi. A mesma que em 1996, quando era Secretária Regional das Finanças, deixou a Região falida e à beira do precipício.

 

Mais Artigos

Sónia Nicolau A ocupação da terra tem muito de opções políticas



José Contente Privatizar?



Vílson Ponte Gomes Ponto de viragem



José San-Bento Ousadia ou Prudência?



Francisco Coelho Corsário



Lara Martinho ESTADO DE EMERGÊNCIA REFORÇADO



José Ávila A vida em tempos de crise



Hernâni Bettencourt Mal-entendido?! Em 2011 já era tarde…



> >>

Arquivo Histórico do PS/Açores
PSA TV - Canal YouTube Ps/Açores

 
HomeNotícias | Media Center | Agenda | OpiniãoPartido | Presidente | Grupo Parlamentar ALRAA | Deputados AR | Deputados PE | Documentos | Links | Contactos
 
Sede Regional - Bairro da Vitória - Rua Dr. Armando Narciso, nº 5 – S. José - 9500-185 Ponta Delgada
Partido Socialista Açores © Todos os Direitos Reservados