Página Principal Presidente Presidente Honorário Partido Media Center Contactos Siga-nos!
 

Notícias PS/Açores

Governo dos Açores anula concurso para construção de navio e direciona 48,2 milhões de euros para saúde, emprego e economia


Conferência de Imprensa do Presidente do Governo Regional dos Açores


Mensagem do Presidente do Governo Regional dos Açores


Governo dos Açores avança com medidas de apoio aos estudantes Açorianos deslocados


Artigos de Opinião

Sónia Nicolau Sónia Nicolau
"A ocupação da terra tem muito de opções políticas"
2020-04-08
José Contente José Contente
"Privatizar?"
2020-04-08
Vílson Ponte Gomes Vílson Ponte Gomes
"Ponto de viragem"
2020-04-07
José San-Bento José San-Bento
"Ousadia ou Prudência?"
2020-04-06
Francisco Coelho Francisco Coelho
"Corsário"
2020-04-04
Lara Martinho Lara Martinho
"ESTADO DE EMERGÊNCIA REFORÇADO"
2020-04-04
José Ávila José Ávila
"A vida em tempos de crise"
2020-04-04
ESTÁ AQUI:Media Center»Opinião
Berto Messias

Opinião

"Negações convenientes"

Berto Messias
2010-09-25

 

Já o dissemos e reiteramos que os processos eleitorais internos da JSD Açores dizem respeito aos seus dirigentes, aos seus militantes e ao PSD. Sobre isso nada temos de dizer.

Mas quando, nesse âmbito, assistimos a um momento de negação conveniente da Presidente do PSD Açores, líder do maior partido da oposição regional e, por isso, com responsabilidades acrescidas, temos a obrigação de denunciar uma postura lamentável que em nada abona à democracia e à juventude açoriana.

Isto a propósito da afirmação peremptória da Sra. Presidente, e cito, “a JSD não tem rigorosamente nada a ver com o PSD”.

Desculpe, importa-se de repetir???

É ofensivo para a juventude açoriana que a líder do PSD/Açores, como que um Pilatos dos tempos modernos, a braços com um problema interno, “lave as suas mãos”, renegue a JSD, alegando que não faz parte do PSD/Açores e se desconsidera os jovens do seu partido desta forma, desconsiderará, com certeza, os jovens de toda a Região.

Mas pior do que isso, e este é um facto assinalável que realçamos, é nos momentos conturbados e mais difíceis que vem ao de cima as fragilidades, as incoerências e até as disfunções de carácter dos protagonistas desses momentos e é lamentável esta negação a uma organização partidária de juventude que já muito contribuiu para a história do PSD Açores.

As políticas para a juventude cumprem-se no terreno. Desenvolvem-se com os jovens. As políticas de juventude não se concretizam com fugas para a frente e a política não pode ser feita por aqueles que na adversidade fogem e não assumem as suas responsabilidades.

É um facto inegável que os Açores têm hoje uma boa política de juventude, em alguns casos pioneira a nível nacional, que muito nos orgulha.

Sabemos que muito foi feito, que temos construído um caminho consistente muito positivo para a juventude açoriana, mas temos a humildade de reconhecer que muito mais há para fazer, porque as políticas de juventude não podem ser estanques ou inflexíveis e têm de se adaptar à normal evolução dos tempos.

Temos de continuar a apoiar os jovens e casais jovens actuando nas diversas áreas que dizem respeito a esta faixa etária.

Continuar a apostar nos jovens empresários, continuar a apoiar as associações juvenis da Região, continuar a combater os abusos laborais que possam sofrer, a contribuir através de políticas públicas para que o mercado laboral da Região absorva aqueles jovens que estão hoje no exterior a qualificar-se e querem regressar e aqui contribuir para o bem comum, dar espaço a políticas de reconversão profissional de jovens qualificados para áreas de maior empregabilidade ou necessidade para a Região ou aprofundar e melhorar as análises prospectivas ao mercado de trabalho e às necessidades do tecido empresarial canalizando os apoios públicos para futuros activos em áreas importantes para o futuro dos Açores.

É nossa obrigação continuar a apostar nos jovens e, estou certo, que assim será porque mais juventude será sempre sinónimo de mais desenvolvimento e gostávamos que todos contribuíssem para isso, até mesmo a JSD e o PSD, mas temos pena que no meio de tantos episódios não surjam propostas concretas e exequíveis que ajudem os jovens.

Com mais este episódio de negação, Berta Cabral assumiu o papel do apóstolo Pedro, reconstituindo o episódio bíblico da negação que poderia ser narrado assim:

“Em verdade, neste mesmo mandato, três vezes negarás o PSD”: À primeira negação deixou sozinhos os companheiros derrotados nas eleições autárquicas na noite em que mais precisavam de uma líder;

A segunda, mais recente, foi quando renegou à Juventude Social-Democrata, que tanto já contribuiu para o passado do PSD;

E a terceira, estou em crer, será ao próprio PSD/Açores quando culpar toda a gente, quando culpar tudo e todos, menos ela, pela derrota nas próximas eleições regionais.

 

Mais Artigos

Sónia Nicolau A ocupação da terra tem muito de opções políticas



José Contente Privatizar?



Vílson Ponte Gomes Ponto de viragem



José San-Bento Ousadia ou Prudência?



Francisco Coelho Corsário



Lara Martinho ESTADO DE EMERGÊNCIA REFORÇADO



José Ávila A vida em tempos de crise



Hernâni Bettencourt Mal-entendido?! Em 2011 já era tarde…



> >>

Arquivo Histórico do PS/Açores
PSA TV - Canal YouTube Ps/Açores

 
HomeNotícias | Media Center | Agenda | OpiniãoPartido | Presidente | Grupo Parlamentar ALRAA | Deputados AR | Deputados PE | Documentos | Links | Contactos
 
Sede Regional - Bairro da Vitória - Rua Dr. Armando Narciso, nº 5 – S. José - 9500-185 Ponta Delgada
Partido Socialista Açores © Todos os Direitos Reservados