Página Principal Presidente Presidente Honorário Partido Media Center Contactos Siga-nos!
 

Notícias PS/Açores

Vasco Cordeiro anuncia lançamento do concurso público para intervenção na estrada Furnas-Povoação


Vasco Cordeiro eleito por aclamação Primeiro Vice-Presidente do Comité das Regiões


PS/Açores garante simplificação e reforço dos apoios às filarmónicas


Classificação da Igreja do Carmo como imóvel de interesse público é importante contributo para a salvaguarda daquele património


Artigos de Opinião

Francisco Coelho Francisco Coelho
"Precários"
2020-02-15
Hernâni Bettencourt Hernâni Bettencourt
"Até sempre, Senhora Deputada Zuraida Soares!"
2020-02-15
Lara Martinho Lara Martinho
"VIAGEM DE ESTADO À ÍNDIA"
2020-02-15
José Miguel Toste José Miguel Toste
"Um congresso side-by-side"
2020-02-14
João Vasco Costa João Vasco Costa
"Congresso(s)"
2020-02-12
Sónia Nicolau Sónia Nicolau
"Decisões e vitórias"
2020-02-12
José Contente José Contente
"In memoriam"
2020-02-12
ESTÁ AQUI:Media Center»Opinião
Cláudia Cardoso

Opinião

"Tristeza a quanto obrigas"

Cláudia Cardoso
2010-11-05

 

Depois de Obama o nosso Cavaco entregou-se ao poder das redes sociais. E foi pelo facebook que ficámos a saber da tristeza do Presidente da República Portuguesa. Confessado num post de 4 linhas. Um homem pode assim confessar ao país o seu estado de espírito sem que o acusem de lamechice. Qualquer homem o pode fazer. Até o Presidente. Mas a franqueza vai mais longe. Está “apreensivo com a falta de qualidade dos nossos políticos e a impaciência com que os cidadãos assistem a alguns debates”. Dos quais naturalmente se exclui. Este recado assenta que nem uma luva ao papelão que fez o PSD no processo de construção do Orçamento de Estado. Berrando que este não era o seu orçamento, mas escusando-se sempre a dizer, durante longos penosos dias, qual seria o seu. Os portugueses suspeitam que não diferiria muito. E cansam-se. O que perturba o sossego do nosso Presidente e lhe traz tristeza e perplexidade. Como a qualquer comum dos mortais. Porém, que faça disto uma confissão pública da sua inércia é que já não se percebe. Para não “contribuir para o espectáculo público de cinismo ou de agressividade”. Salvaguardando assim o país de mais um actor de 3ª categoria, o Presidente escolhe ser um figurante. E deixa-se estar “posto em sossego”. Enquanto o país assiste ao início dum período de austeridade de que ninguém arrisca traçar a linha do fim. Não precisa Portugal dos suspiros do Presidente. O ânimo colectivo já lhe chega e sobra. A tristeza que Cavaco atira ao facebook serve afinal a sua perspectiva de reeleição, em que ele, náufrago ilibado dum país de políticos medíocres, se salva. O sebastianismo português fará o resto e a falibilidade da memória encarregar-se-á de validar esta tese. Dando ao candidato uma dimensão de humanidade à prova das balas do actual estado de coisas. Embora ilusório, este é um cenário que lhe é extremamente útil.

 

Mais Artigos

Francisco Coelho Precários



Hernâni Bettencourt Até sempre, Senhora Deputada Zuraida Soares!



Lara Martinho VIAGEM DE ESTADO À ÍNDIA



José Miguel Toste Um congresso side-by-side



João Vasco Costa Congresso(s)



Sónia Nicolau Decisões e vitórias



José Contente In memoriam



Sónia Nicolau O tempo...



> >>

Arquivo Histórico do PS/Açores
PSA TV - Canal YouTube Ps/Açores

 
HomeNotícias | Media Center | Agenda | OpiniãoPartido | Presidente | Grupo Parlamentar ALRAA | Deputados AR | Deputados PE | Documentos | Links | Contactos
 
Sede Regional - Bairro da Vitória - Rua Dr. Armando Narciso, nº 5 – S. José - 9500-185 Ponta Delgada
Partido Socialista Açores © Todos os Direitos Reservados