Página Principal Presidente Presidente Honorário Partido Media Center Contactos Siga-nos!
 

Notícias PS/Açores

Retoma da atividade do Serviço Regional de Saúde está no “bom caminho”, afirma Presidente do Governo


Obra de quatro milhões de euros no Museu Carlos Machado vai proporcionar melhores condições aos visitantes, afirma Vasco Cordeiro


Vasco Cordeiro inaugura projeto-piloto que aposta em novas tecnologias de mobilidade elétrica


Vasco Cordeiro recebe contributos da JS para futuras políticas da educação, emprego, habitação e sustentabilidade


Artigos de Opinião

Hernâni Bettencourt Hernâni Bettencourt
"Mar dos Açores"
2020-08-01
José Contente José Contente
"Mare Nostrum"
2020-07-29
Carlos Silva Carlos Silva
"SATA: sinais encorajadores "
2020-07-29
Sónia Nicolau Sónia Nicolau
"Autonomia que faça costume"
2020-07-29
José San-Bento José San-Bento
"Autonomia por Procuração"
2020-07-28
Mariana Matos Mariana Matos
"Contradições?"
2020-07-26
Francisco Coelho Francisco Coelho
"Gorbachev"
2020-07-25
ESTÁ AQUI:Media Center»Opinião
Carlos Silva

Opinião

"SATA: sinais encorajadores "

Carlos Silva
2020-07-29

 

Nos últimos dias, o Grupo SATA voltou a estar no centro das atenções, quer através do debate político no Parlamento Regional, quer nas inúmeras notícias e opiniões publicadas.
Por um lado, há partidos mais radicais e menos responsáveis (como o PPM e PSD) que defendem que o Plano de Negócios/Reestruturação para o período 2020-2025 deve ser tornado público, imediatamente, sem estar concluído e sem que tenha sido analisado e aprovado pelo Governo dos Açores, o acionista do Grupo SATA.
Tornar público agora este Plano poderá implicar graves consequências na viabilização do Grupo SATA, sobretudo por constituir uma pressão adicional e desnecessária sobre a Comissão Europeia, quando está em curso um pedido de autorização para os auxílios de Estado.
Por outro lado, o Bloco de Esquerda defende que a SATA deve esquecer a concorrência feroz feita pela TAP, nos últimos anos, em determinadas rotas, e o abandono das rotas do Faial e Pico, para, agora, através de um Projeto de Resolução eleitoralista, sem qualquer efeito prático, SATA e TAP celebrarem um “acordo estratégico”.
Mas a verdade é que a Administração da SATA, mesmo condicionada pela pandemia e pelos seus impactos na operação e na recuperação económico-financeira, tem vindo a fazer o seu trabalho, mesmo sem “acordos estratégicos” escritos numa Resolução.
Sobressai, desde logo, a alteração da política de comunicação, para dentro da empresa e para o seu exterior, de forma a envolver e motivar os colaboradores, como parte da solução, na recuperação do grupo SATA.
Ao mesmo tempo que a economia regional começa a recuperar, ainda que lentamente, a operação de transporte aéreo foi retomada de forma gradual e segura, assegurando alguns fluxos económicos para todas as ilhas e, mais importante, a mobilidade interna e externa dos Açorianos.
A este respeito, destacamos alguns sinais encorajadores do trabalho feito na recuperação económico-financeira do Grupo SATA:
i) Volvidos alguns meses após o início de funções do atual Conselho de Administração, verificamos que o prazo de resposta às solicitações e reclamações dos clientes tem vindo a reduzir substancialmente, estando praticamente regularizado e em dia. Este facto é particularmente relevante, porque o Presidente da SATA, na audição da Comissão de Economia, definiu como prioridade para o seu mandato melhorar o nível de satisfação dos clientes e a qualidade do serviço prestado.
ii) Na audição realizada, recentemente, na Comissão de Economia ficamos, também, a saber que taxa de ocupação dos passageiros (load factor) nos voos operados pela SATA, interilhas e para o exterior, após a retoma, tem vindo a aumentar de forma gradual e consistente, estando acima dos valores praticados por outras companhias aéreas, neste momento particularmente difícil.
iii) O Plano de Negócios/Reestruturação para o período 2020-2025 do Grupo SATA está a ser preparado pela Administração de forma meticulosa, tendo em consideração a situação real do grupo antes da pandemia, os impactos provocados pela queda abrupta da procura e o “caminho” que é necessário percorrer para inverter os resultados negativos dos últimos anos. Este trabalho está a ser feito de “de dentro para fora”, resolvendo os problemas e planeando o futuro com Confiança e Responsabilidade, sem ceder às ingerências políticas dos partidos da oposição e sem menosprezar as dificuldades existentes.
Mais do que nunca, os Açorianos precisam de uma SATA robusta, sustentável, que continue a servir a Região, parando quando é necessário parar e voando quando é necessário assegurar a mobilidade dos Açorianos interilhas e para o exterior.
Mais do que nunca, o turismo e a economia regional precisam que a SATA volte a ter um papel estruturante na retoma económica e no desenvolvimento harmonioso das nove ilhas do nosso magnifico arquipélago.
É por isso que apelamos, uma vez mais, ao consenso e à união em torno da recuperação económico-financeira do Grupo SATA, resistindo à tentação de usar a SATA como arma de arremesso político e dando condições para que a atual Administração consiga desenvolver o trabalho a que se propôs.

 

Mais Artigos

Hernâni Bettencourt Mar dos Açores



José Contente Mare Nostrum



Carlos Silva SATA: sinais encorajadores



Sónia Nicolau Autonomia que faça costume



José San-Bento Autonomia por Procuração



Mariana Matos Contradições?



Francisco Coelho Gorbachev



Lara Martinho Estado da Nação



> >>

Arquivo Histórico do PS/Açores
PSA TV - Canal YouTube Ps/Açores

 
HomeNotícias | Media Center | Agenda | OpiniãoPartido | Presidente | Grupo Parlamentar ALRAA | Deputados AR | Deputados PE | Documentos | Links | Contactos
 
Sede Regional - Bairro da Vitória - Rua Dr. Armando Narciso, nº 5 – S. José - 9500-185 Ponta Delgada
Partido Socialista Açores © Todos os Direitos Reservados