Página Principal Presidente Presidente Honorário Partido Media Center Contactos Siga-nos!
 

Notícias PS/Açores

Resultados no Turismo são fruto da parceria bem-sucedida entre políticas públicas e a adesão dos empresários, afirma Vasco Cordeiro


Vasco Cordeiro participa em iniciativa online com jovens Açorianos


“Açores Primeiro! Todos Contam” apresenta propostas para o futuro da Região


Eleições de 25 de outubro são oportunidade para os Açorianos darem mais força à Autonomia, afirma Vasco Cordeiro


Artigos de Opinião

Francisco Coelho Francisco Coelho
"Ser ou não ser…"
2020-09-26
Hernâni Bettencourt Hernâni Bettencourt
"Bolieiro: de fato preto nunca me comprometo!"
2020-09-26
Lara Martinho Lara Martinho
"Recuperação e Resiliência"
2020-09-26
José Contente José Contente
"Votar PS"
2020-09-24
Sónia Nicolau Sónia Nicolau
"Mais manutenção de emprego e menos economia paralela"
2020-09-24
Mariana Matos Mariana Matos
"Juntos"
2020-09-20
Francisco Coelho Francisco Coelho
"Concertação"
2020-09-19
ESTÁ AQUI:Media Center»Opinião
Mónica Rocha

Opinião

"A imprescindível defesa e valorização da Agricultura Familiar"

Mónica Rocha
2020-06-28

 

No Plenário de junho foi debatido e aprovado o Estatuto de Agricultura Familiar, que confirma a importância da pequena agricultura a nível nacional e regional, como modalidade de organização de atividades produtivas, de base familiar, onde a família e as suas explorações estão ligadas, coevoluem e combinam objetivos económicos, ambientais, sociais e culturais.
Foi um processo longo, que nasceu da necessidade de reversão do papel atribuído, erradamente, à pequena agricultura, considerada como “atrasada” ou “ineficiente “.
Foi um caminho que se focou na construção da identidade deste modelo de agricultura, reiterando as suas potencialidades em matéria de gestão do ambiente e, sobretudo, na capacidade de dinamizar a vida económica e social dos espaços rurais.
A Agricultura Familiar ganhou particular relevância quando a ONU declarou 2014 como o Ano Internacional da Agricultura Familiar, desencadeando um conjunto de iniciativas que enriqueceram a reflexão e evidenciaram a necessidade de um tratamento diferenciado deste “modelo” de agricultura e agricultores.
Hoje, fruto do caminho percorrido, podemos debater e analisar as mais-valias da adaptação e integração deste estatuto no contexto regional e ao serviço dos diferentes setores.
Foram propostas alterações ao diploma nacional que refletem necessidades e fatores específicos que devem ficar salvaguardados. Destaco, por exemplo, o alargamento dos direitos, facilitando o acesso a medidas de apoio financiadas pelo orçamento regional, como o PROAMAF, PROAGRI, i9AGRI, ou o gasóleo e os seguros agrícolas.
São motivos como estes que nos fazem acreditar que este diploma acompanha a estratégia e vontade deste governo de promover equilíbrios e o crescimento sustentável da agricultura açoriana nas suas diferentes dimensões.
Relembro que o diploma serve um universo de agricultores que deve ser valorizado, potenciado e rentabilizado, pelo seu papel na criação de emprego e na manutenção e reforço da nossa atividade económica, pela sua capacidade de fixar e promover a coesão territorial e pelo impacto criado no desejável rejuvenescimento da agricultura, bem como por contribuir significativamente para a fundamental preservação da paisagem e da biodiversidade.
O objetivo principal deste diploma é promover políticas públicas adequadas para este modelo de produção e uma maior equidade na concessão de incentivos e condições de produção às explorações agrícolas familiares.
Além disso, pretende promover e valorizar a produção local e melhorar os respetivos circuitos de comercialização, através do abastecimento de proximidade e a promoção de produtos de qualidade locais, bem como fomentar uma agricultura sustentável, incentivando a melhoria dos sistemas e métodos de produção assentes na preservação da paisagem e biodiversidade.
Por fim, pretende conferir à Agricultura Familiar um valor estratégico, a ter em conta designadamente, nas prioridades das políticas agrícolas regionais, nacionais e europeias.
Por tudo isto, consideramos que pequenas ou grandes explorações, pequenos ou grandes empresários agrícolas dedicam-se e entregam-se na mesma medida e que o seu compromisso, esforço e trabalho devem sempre ser defendidos e valorizados na mesma medida e até ao limite das nossas competências.

 

Mais Artigos

Francisco Coelho Ser ou não ser…



Hernâni Bettencourt Bolieiro: de fato preto nunca me comprometo!



Lara Martinho Recuperação e Resiliência



José Contente Votar PS



Sónia Nicolau Mais manutenção de emprego e menos economia paralela



Mariana Matos Juntos



Francisco Coelho Concertação



Lara Martinho Açores na Assembleia



> >>

Arquivo Histórico do PS/Açores
PSA TV - Canal YouTube Ps/Açores

 
HomeNotícias | Media Center | Agenda | OpiniãoPartido | Presidente | Grupo Parlamentar ALRAA | Deputados AR | Deputados PE | Documentos | Links | Contactos
 
Sede Regional - Bairro da Vitória - Rua Dr. Armando Narciso, nº 5 – S. José - 9500-185 Ponta Delgada
Partido Socialista Açores © Todos os Direitos Reservados