Página Principal Presidente Presidente Honorário Partido Media Center Contactos Siga-nos!
 

Notícias PS/Açores

Obra de construção da proteção de emergência já arrancou no Porto das Lajes das Flores


Vasco Cordeiro dedica o dia a contactos no Corvo no âmbito da retoma da atividade económica da Região


Reunião com o Presidente da Câmara da Praia da Vitória permitiu analisar a retoma económica no concelho, afirma Vasco Cordeiro


“Interessa agora trabalhar para que a economia e o emprego ganhem novo impulso” em cada ilha, afirma Vasco Cordeiro


Artigos de Opinião

Francisco Coelho Francisco Coelho
"Tele… Quê?"
2020-06-06
Lara Martinho Lara Martinho
"Estabilizar para recuperar"
2020-06-06
Hernâni Bettencourt Hernâni Bettencourt
"Um discurso marcante para uma missão hercúlea "
2020-06-06
José Ávila José Ávila
"Quando falta palco"
2020-06-06
João Vasco Costa João Vasco Costa
"Do fastio"
2020-06-05
Francisco Coelho Francisco Coelho
"Esclarecimento"
2020-06-05
Carlos Silva Carlos Silva
"Reerguer a Economia Açoriana"
2020-06-04
ESTÁ AQUI:Media Center»Opinião
Francisco Coelho

Opinião

"Povo…"

Francisco Coelho
2020-01-12

 

No sentido geográfico, ou mais ou menos etnográfico, o sentido da palavra povo foi variando: habitantes de uma região, população em geral, comunidade de pequeno tamanho, estrato mais “baixo” de uma sociedade. O conceito evoluiu, acabando por corresponder a uma comunidade, de dimensão variável, pelo facto de a vida em conjunto dessas pessoas, prolongada no tempo, consubstanciar-se em tradições, costumes e um passado cultural comum.
O povo acabaria de ganhar um conceito jurídico-político muito preciso, sendo um dos tripés do conceito clássico de Estado. E logo também surgiram aqueles que consideravam que essa identidade e sentido de pertença existiriam em povos dominados, que assim aspiravam a constituir-se em Estado. Os fenómenos advenientes das globalizações aceleraram o reconhecimento progressivo, por parte do Direito Internacional, do direito à autodeterminação dos povos, e a gradual exigência de equiparação, em nome dos direitos humanos, do estatuto dos estrangeiros, bem como ainda o reconhecimento de identidades, com maior ou menor grau de autonomia política, de dimensão e carácter infraestadual – sendo estes alguns dos exemplos que têm abalado os conceitos clássicos de Povo e de Estado.
Vem isto a propósito de alguma bem intencionada excitação, e cuja eventual desilusão tanto nos faz penar, das bem-intencionadas almas que se sobressaltaram de gozo autonómico com as referências feitas pelo Presidente Marcelo ao “povo açoriano” – expressão sempre tão mal tratado pelo Tribunal Constitucional, zeloso guarda da ortodoxia do Estado Unitário. Com pesar vos comunico, atenta a essencialidade do elemento sistemático de interpretação, que tal referência vem, quiçá não por acaso…, a seguir à simpática referência a “povo corvino”. Polissemia, não é verdade?...

 

Mais Artigos

Francisco Coelho Tele… Quê?



Lara Martinho Estabilizar para recuperar



Hernâni Bettencourt Um discurso marcante para uma missão hercúlea



José Ávila Quando falta palco



João Vasco Costa Do fastio



Francisco Coelho Esclarecimento



Carlos Silva Reerguer a Economia Açoriana



José Contente Da Autonomia



> >>

Arquivo Histórico do PS/Açores
PSA TV - Canal YouTube Ps/Açores

 
HomeNotícias | Media Center | Agenda | OpiniãoPartido | Presidente | Grupo Parlamentar ALRAA | Deputados AR | Deputados PE | Documentos | Links | Contactos
 
Sede Regional - Bairro da Vitória - Rua Dr. Armando Narciso, nº 5 – S. José - 9500-185 Ponta Delgada
Partido Socialista Açores © Todos os Direitos Reservados