Página Principal Presidente Presidente Honorário Partido Media Center Contactos Siga-nos!
 

Notícias PS/Açores

Reconstrução do Lorenzo em plena “velocidade de cruzeiro” por toda a Região, afirma Vasco Cordeiro


Obra de 1,2 milhões de euros garante melhores condições de segurança e de trabalho no porto de pescas da Madalena, afirma Vasco Cordeiro


Comissão deve estar preparada para ter Quadro Financeiro Plurianual operacional no início de 2021, defende Vasco Cordeiro


Serviço Regional de Saúde com reforço de 95 milhões de euros, anuncia Vasco Cordeiro


Artigos de Opinião

Vítor Fraga Vítor Fraga
"Em defesa de Ponta Delgada"
2020-07-03
José Ávila José Ávila
"A nova normalidade"
2020-07-01
José Contente José Contente
"Decisões"
2020-07-01
José San-Bento José San-Bento
"PANdemónio"
2020-06-29
Mariana Matos Mariana Matos
"Viver os Açores!"
2020-06-28
Vílson Ponte Gomes Vílson Ponte Gomes
"Pela terceira vez"
2020-06-28
Mónica Rocha Mónica Rocha
"A imprescindível defesa e valorização da Agricultura Familiar"
2020-06-28
ESTÁ AQUI:Media Center»Opinião
Hernâni Bettencourt

Opinião

"200 mil votos cabem em 270 segundos?"

Hernâni Bettencourt
2019-11-16

 

Os dias que antecederam o primeiro debate quinzenal desta legislatura na Assembleia da República ficaram marcados por uma divergência que julgávamos impossível no atual estado da Democracia em Portugal: definir se os novos partidos - Chega, Iniciativa Liberal e Livre - podiam usar da palavra. Contado ninguém acreditaria, mas aconteceu mesmo! Estes partidos, somados, representaram, aproximadamente, 200 mil eleitores que no passado dia 6 de outubro foram às urnas depositar o seu voto. Votos esses que permitiram, no círculo eleitoral de Lisboa, que cada um dos ditos “pequenos partidos” conseguisse obter um mandato. Ora, o que parecia simples de resolver, uma vez que na legislatura anterior o PAN esteve na mesma situação, levou à realização de diversas reuniões; à elaboração de um inenarrável relatório a cargo do Deputado José Manuel Pureza (BE); à produção de diversas declarações desfasadas de um Estado de Direito Democrático; à intervenção do Presidente da Assembleia da República; a inúmeros artigos de opinião e debate nos mais variados órgãos de comunicação social e até a um comentário do Presidente da República a caminho de uma daquelas visitas relâmpagos de duvidosa compatibilidade com o cargo exercido. Em síntese, assistimos a uma sucessão de equívocos e trapalhadas. Vá lá que no final imperou, como não podia deixar de ser, o bom senso e, com alguma timidez e vergonha à mistura, lá informaram que os “partidos novatos” podiam usar da palavra no debate com o Sr. Primeiro Ministro. Para tal, dispunham de um minuto e meio. 90 segundos! Que fortuna! Sem ironias, julgamos que não é assim que se dignifica e se dá ao respeito um órgão de soberania com a importância da Assembleia da República. A gestão e decisão dos tempos por cada tipo de debate ou iniciativa deve assentar na representatividade e, por conseguinte, na proporcionalidade, mas exige (deveria!), acima de tudo, um mínimo de decência. Verdadeira e não forçada, como a que tristemente assistimos. O tempo concedido a estas forças partidárias fez-nos transportar para os tristes episódios decorrentes da visão parlamentar regional de Alberto João Jardim, a qual felizmente foi substancialmente alterada pelo seu sucessor na Quinta Vigia. Ora, em vez de terem olhado para a Madeira, bem que os senhores Deputados podiam ter virado atenções para os Açores e, dessa forma, teriam rapidamente chegado à conclusão que as representações parlamentares (partidos com 1 único Deputado) não só podem participar em todo o tipo de debates ou iniciativas, como têm tempos previstos para uso da palavra que os fariam corar ainda mais. O PPM, por exemplo, cujo Deputado foi eleito para a Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores com 82 votos obtidos no círculo eleitoral da ilha do Corvo, se tivesse tido o azar de ser eleito à Assembleia da República, provavelmente nem cadeira teria no hemiciclo de São Bento. Há, portanto, muito caminho democrático a percorrer por aquelas bandas…


 

Mais Artigos

Vítor Fraga Em defesa de Ponta Delgada



José Ávila A nova normalidade



José Contente Decisões



José San-Bento PANdemónio



Mariana Matos Viver os Açores!



Vílson Ponte Gomes Pela terceira vez



Mónica Rocha A imprescindível defesa e valorização da Agricultura Familiar



Francisco Coelho Concertação



> >>

Arquivo Histórico do PS/Açores
PSA TV - Canal YouTube Ps/Açores

 
HomeNotícias | Media Center | Agenda | OpiniãoPartido | Presidente | Grupo Parlamentar ALRAA | Deputados AR | Deputados PE | Documentos | Links | Contactos
 
Sede Regional - Bairro da Vitória - Rua Dr. Armando Narciso, nº 5 – S. José - 9500-185 Ponta Delgada
Partido Socialista Açores © Todos os Direitos Reservados