Página Principal Presidente Presidente Honorário Partido Media Center Contactos Siga-nos!
 

Notícias PS/Açores

Investimento privado na Região demonstra confiança dos empresários na economia, afirma Vasco Cordeiro


Segunda fase do NONAGON avança no primeiro semestre de 2020, anuncia Vasco Cordeiro


Reunião “produtiva” com António Costa no âmbito do relacionamento estável com o Governo da República, afirma Vasco Cordeiro


“Açores Primeiro é um exercício de liberdade, cidadania, responsabilidade e de Autonomia”, afirmou Vasco Cordeiro


Artigos de Opinião

José Contente José Contente
"Plano de 2020"
2019-11-13
Hernâni Bettencourt Hernâni Bettencourt
"200 mil votos cabem em 270 segundos?"
2019-11-16
Lara Martinho Lara Martinho
"NOVO AUMENTO DO SALÁRIO MÍNIMO"
2019-11-16
Francisco Coelho Francisco Coelho
"Direito e ocasião"
2019-11-17
Tiago Branco Tiago Branco
"Porto da Horta: Que futuro?"
2019-11-15
Francisco Coelho Francisco Coelho
"A pedido..."
2019-11-09
Hernâni Bettencourt Hernâni Bettencourt
"Terceira Tech Island: a nossa “Web Summit” em permanência!"
2019-11-09
ESTÁ AQUI:Media Center»Opinião
Tiago Branco

Opinião

"A Força do Lorenzo contra a força da solidariedade"

Tiago Branco
2019-10-18

 

O Furacão Lorenzo chegou aos Açores e deixou bem patente o seu rasto de destruição um pouco por todas as ilhas, mas principalmente nas ilhas do Faial, Flores e Pico, com prejuízos identificados na ordem dos 330 milhões de euros.
Não obstante, é de salientar todo o trabalho prévio que antecedeu a chegada daquela intempérie. O desempenho do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros foi exímio antes, durante e após, tal como reconhecido pela maioria das pessoas e das entidades envolvidas, sejam elas públicas ou privadas. O trabalho de prevenção, sinalização e articulação entre Forças de Segurança, Corporações de Bombeiros, Forças Armadas, Autarquias, serviços da Administração Regional e Local e as próprias populações – sim, porque a proteção civil começa em cada um de nós - permitiu o mais importante de tudo, isto é, a não existência de vítimas humanas.
No Faial, foram bem visíveis as marcas deixadas pelo Lorenzo, nomeadamente nas freguesias de Angústias, Feteira, Castelo Branco e Capelo, com estragos bem visíveis na orla costeira e zonas balneares e, sobretudo, em habitações e espaços comerciais, onde os seus proprietários viram a força do mar causar inúmeros danos materiais.
Neste contexto, é igualmente de enaltecer todas e todos os faialenses que, de forma voluntária mas comprometida, disponibilizaram-se no imediato para auxiliar aqueles que se viram confrontados com situações de maior dificuldade, nomeadamente aqueles que foram obrigados a abandonar a sua habitação e a vê-la fustigada e danificada pela força da natureza. Esse gesto diz muito sobre a capacidade de um povo em demonstrar-se solidário para com os seus concidadãos em momentos de particular dificuldade.
Agora é tempo de reerguer, reconstruir e devolver a esperança a quem, por momentos, a perdeu.
O Governo Regional - a quem cabe a condução de todo este processo – agiu com rapidez e celeridade tendo, passados doze dias da intempérie, já identificados os prejuízos, e, acima de tudo, tomado as medidas necessárias para fazer face aos mesmos. É certo que será fundamental a solidariedade do Estado Português e da União Europeia para cobrir tão avultados custos materiais, mas isso não inibiu Vasco Cordeiro de tomar medidas de âmbito regional para resolver, no imediato, a vida das pessoas. São elas a criação de um regime de apoio excecional, que pode ir até 100% do valor dos estragos destinados aos agregados familiares que se encontrem em situação comprovada de carência de recursos em termos de habitação; a criação de um apoio extraordinário, correspondente a 75% das despesas elegíveis, para equipamentos de apoio à pesca, na parte não comparticipada por seguros ou não objeto de cobertura; a comparticipação até 75% do montante dos estragos verificados em produções e infraestruturas agrícolas e o apoio às empresas de comércio e serviços até 75% das despesas elegíveis em termos de equipamentos, instalações e mercadorias.
É certo que o trabalho não se esgota nestas medidas, é preciso fazer um acompanhamento pormenorizado das situações até que as mesmas estejam ultrapassadas mas a rapidez com que os critérios e o regime para atribuição de apoios a cidadãos e empresas, afetadas por esta catástrofe natural, foram definidos e aprovados, revelam a competência de um Governo que, perante uma situação calamitosa, mostra-se capaz de enfrentar os desafios do seu povo.
Todos temos consciência que estes processos não são fáceis dada a sua sensibilidade, mas este é mais um motivo para nos unirmos e concentrarmo-nos naquilo que é essencial: as pessoas.

 

Mais Artigos

José Contente Plano de 2020



Hernâni Bettencourt 200 mil votos cabem em 270 segundos?



Lara Martinho NOVO AUMENTO DO SALÁRIO MÍNIMO



Francisco Coelho Direito e ocasião



Tiago Branco Porto da Horta: Que futuro?



Francisco Coelho A pedido...



Hernâni Bettencourt Terceira Tech Island: a nossa “Web Summit” em permanência!



Lara Martinho WEB SUMMIT



> >>

Arquivo Histórico do PS/Açores
PSA TV - Canal YouTube Ps/Açores

 
HomeNotícias | Media Center | Agenda | OpiniãoPartido | Presidente | Grupo Parlamentar ALRAA | Deputados AR | Deputados PE | Documentos | Links | Contactos
 
Sede Regional - Bairro da Vitória - Rua Dr. Armando Narciso, nº 5 – S. José - 9500-185 Ponta Delgada
Partido Socialista Açores © Todos os Direitos Reservados