Página Principal Presidente Presidente Honorário Partido Media Center Contactos Siga-nos!
 

Notícias PS/Açores

Vasco Cordeiro anuncia projeto para fazer da Graciosa “ilha modelo” da mobilidade elétrica


Vasco Cordeiro enaltece esforço de 12.500 Açorianos que apostaram no reforço das suas qualificações


Resultados concretos comprovam “profunda mudança estrutural” registada no setor vitivinícola, destaca Vasco Cordeiro


Novo terminal de passageiros consta do Plano de Reordenamento do Porto da Praia da Graciosa – Vasco Cordeiro


Artigos de Opinião

Francisco Coelho Francisco Coelho
"Ódio antigo"
2020-02-22
Hernâni Bettencourt Hernâni Bettencourt
"Uma saída à Bolieiro…"
2020-02-22
João Vasco Costa João Vasco Costa
"O exemplo?"
2020-02-21
Emanuel Furtado Emanuel Furtado
"O combate à pobreza e à exclusão social"
2020-02-20
Sónia Nicolau Sónia Nicolau
"(EU)tanásia"
2020-02-19
Mónica Rocha Mónica Rocha
"Filarmónicas açorianas honram o passado e melhoram o futuro"
2020-02-18
João Paulo Ávila João Paulo Ávila
"Filarmónicas dos Açores"
2020-02-14
ESTÁ AQUI:Media Center»Opinião
Sónia Nicolau

Opinião

"Onde param os partidos de direita?"

Sónia Nicolau
2019-09-04

 

Esta campanha eleitoral é à esquerda. A ausência da direita neste ato eleitoral em nada valoriza o processo democrático e prejudica a construção das escolhas, estamos com um debate e soluções políticos à esquerda.

À direita, o PSD e o CDS-PP, por escolha ou por incapacidade narrativa, porque afinal “o Diabo não veio” como Passos Coelho preconizou, estão ausentes das questões essenciais para o desenvolvimento de Portugal e o presente contraria as opções que foram além da Troika.

À esquerda temos um BE e um PCP que querendo apenas a “carne” das decisões governamentais, querem deixar os “ossos” para o PS, e com esta narrativa política arrasam a sua credibilidade.

Vivemos uma campanha atípica , num momento de fulcral importância para Portugal. Há temas de substância que necessitam ser debatidos, que exigem soluções sérias, onde importam propostas realistas e de diferentes quadrantes, como por exemplo novas realidades laborais que na próxima década serão afetadas pela revolução das tecnologias de informação e que exigem um olhar mais cuidadoso ao nível da legislação laboral e fiscal.

Mas hoje vive-se melhor em Portugal, da economia, aos serviços públicos, da saúde à inovação. É indiscutível. E o mérito é da Geringonça, com um governo do PS. Não é possível dar tudo a todos. É possível e desejável dar àqueles que necessitam com um forte escrutínio público.

Na contagem decrescente para o dia 6 de outubro, com paradeiro incerto dos partidos da direita e um BE e PCP deslocados da sua narrativa habitual, é o PS que melhor se posiciona para continuar a liderar o trajeto de um Portugal mais humanista e mais inovador, elogiado dentro e fora do nosso país, mostrando que sempre houve a possibilidade de um caminho diferente em detrimento da destruição de rendimentos e da submissão dos portugueses ao fatalismo da pobreza e pequenez.

 

Mais Artigos

Francisco Coelho Ódio antigo



Hernâni Bettencourt Uma saída à Bolieiro…



João Vasco Costa O exemplo?



Emanuel Furtado O combate à pobreza e à exclusão social



Sónia Nicolau (EU)tanásia



Mónica Rocha Filarmónicas açorianas honram o passado e melhoram o futuro



João Paulo Ávila Filarmónicas dos Açores



Francisco Coelho Precários



> >>

Arquivo Histórico do PS/Açores
PSA TV - Canal YouTube Ps/Açores

 
HomeNotícias | Media Center | Agenda | OpiniãoPartido | Presidente | Grupo Parlamentar ALRAA | Deputados AR | Deputados PE | Documentos | Links | Contactos
 
Sede Regional - Bairro da Vitória - Rua Dr. Armando Narciso, nº 5 – S. José - 9500-185 Ponta Delgada
Partido Socialista Açores © Todos os Direitos Reservados