Página Principal Presidente Presidente Honorário Partido Media Center Contatos Siga-nos!
 

Notícias PS/Açores

Presidente do Governo inaugura residência para doentes deslocados na ilha Terceira que é exemplo de coesão social


Turismo na Terceira tem desafios, mas tendência dos últimos anos é de fortalecimento do setor, afirma Vasco Cordeiro


Vasco Cordeiro destaca impacto que apoios à habitação têm na vida dos beneficiários


Vasco Cordeiro visita obra do Terminal de Cargas que vai fortalecer capacidade exportadora da Terceira e dos Açores


Artigos de Opinião

Hernâni Bettencourt Hernâni Bettencourt
"Desnorte total"
2019-10-19
Tiago Branco Tiago Branco
"A Força do Lorenzo contra a força da solidariedade"
2019-10-18
Fátima Ferreira Fátima Ferreira
"A ATUALIDADE E AS SUAS EXIGÊNCIAS"
2019-10-19
Francisco Coelho Francisco Coelho
"Nós, cidadãos..."
2019-10-19
José Contente José Contente
"Estabilidade"
2019-10-16
Francisco Coelho Francisco Coelho
"Rescaldo"
2019-10-12
José Miguel Toste José Miguel Toste
"Dire(i)to à política: Auspícios, factos e alguma animação"
2019-10-12
ESTÁ AQUI:Media Center»Opinião
Hernâni Bettencourt

Opinião

"226 minutos a debater o passado com outubro em mira"

Hernâni Bettencourt
2019-07-15

 

Na passada quarta-feira decorreu na Assembleia da República o último debate do Estado da Nação desta legislatura. Foram quase 4 horas. O tempo, exato, de que dispunham o Governo e os partidos para discutirem a situação do País era de 226 minutos. A grande maioria desse tempo foi passado à volta dos méritos e deméritos da chamada geringonça. A geringonça, revivemos a nossa memória, começou a ver a luz do dia na noite eleitoral de 4 de outubro de 2015. O objetivo, com recurso à pura aritmética parlamentar até então por estrear, era simples: impedir a continuidade de Passos e Portas nos comandos do País. Passadas horas e dias em reuniões nas diversas sedes partidárias, com avanços e recuos, chegou-se a um entendimento. O caminho passaria, em primeiro lugar, por utilizar a maioria parlamentar para chumbar o programa de governo que a coligação vencedora levaria ao Parlamento. Dito e feito. A coligação caiu perante uma alternativa maioritária. A democracia, em modalidade de estreia, funcionou. O passo seguinte foi assinar, de forma atabalhoada, rápida e em separado, numa sala secundária do Parlamento, acordos de mera incidência parlamentar. O início, convenhamos, não augurava grande durabilidade. Acontece que, passados 4 anos, a geringonça chegou ao fim da legislatura. 4 orçamentos aprovados; 0 orçamentos retificativos; crescimento económico; défice mais baixo de sempre; desemprego a cair e, acima de tudo, muita esperança no futuro. A página dos cortes nas pensões, nos salários, nos subsídios e nos direitos dos trabalhadores foi virada. Demonstrou-se, com uma habilidade ímpar de António Costa, que havia outro caminho. Sem a presença de Diabos! Em Democracia tem que haver sempre alternativa. Esta máxima não se esgotou em 2015. Estamos a menos de 3 meses de eleições legislativas. Momento certo para os eleitores procederem à avaliação dos diferentes partidos que integraram a geringonça e, simultaneamente, avalizar as propostas constantes dos múltiplos programas eleitorais a sufrágio. Será a geringonça repetível? Haverá uma nova geringonça? Composta por quem? O PS conseguirá a almejada maioria absoluta? E o PSD, ficará pelos resultados apontados nas sondagens e comprovados nas europeias ou subirá? Rui Rio sobreviverá à noite eleitoral? E o PP, conseguirá capitalizar uma eventual perda eleitoral do PSD? Muitas perguntas a que os eleitores darão resposta no dia 6 de outubro. Da nossa parte, assumido fã também de desportos motorizados, muito gostávamos que o condutor saído de outubro tivesse o controlo do volante, acelerador, travões e caixa de velocidades. O ritmo de andamento imposto na legislatura que está prestes a findar justifica, em nosso entender, um carro mais solto na próxima temporada.

 

Mais Artigos

Hernâni Bettencourt Desnorte total



Tiago Branco A Força do Lorenzo contra a força da solidariedade



Fátima Ferreira A ATUALIDADE E AS SUAS EXIGÊNCIAS



Francisco Coelho Nós, cidadãos...



José Contente Estabilidade



Francisco Coelho Rescaldo



José Miguel Toste Dire(i)to à política: Auspícios, factos e alguma animação



Hernâni Bettencourt Os eleitores gostam mesmo da “geringonça”?



> >>

Arquivo Histórico do PS/Açores
PSA TV - Canal YouTube Ps/Açores

 
HomeNotícias | Media Center | Agenda | OpiniãoPartido | Presidente | Grupo Parlamentar ALRAA | Deputados AR | Deputados PE | Documentos | Links | Contactos
 
Sede Regional - Bairro da Vitória - Rua Dr. Armando Narciso, nº 5 – S. José - 9500-185 Ponta Delgada
Partido Socialista Açores © Todos os Direitos Reservados