Página Principal Presidente Presidente Honorário Partido Media Center Contactos Siga-nos!
 

Notícias PS/Açores

Obra de construção da proteção de emergência já arrancou no Porto das Lajes das Flores


Vasco Cordeiro dedica o dia a contactos no Corvo no âmbito da retoma da atividade económica da Região


Reunião com o Presidente da Câmara da Praia da Vitória permitiu analisar a retoma económica no concelho, afirma Vasco Cordeiro


“Interessa agora trabalhar para que a economia e o emprego ganhem novo impulso” em cada ilha, afirma Vasco Cordeiro


Artigos de Opinião

Francisco Coelho Francisco Coelho
"Tele… Quê?"
2020-06-06
Lara Martinho Lara Martinho
"Estabilizar para recuperar"
2020-06-06
Hernâni Bettencourt Hernâni Bettencourt
"Um discurso marcante para uma missão hercúlea "
2020-06-06
José Ávila José Ávila
"Quando falta palco"
2020-06-06
João Vasco Costa João Vasco Costa
"Do fastio"
2020-06-05
Francisco Coelho Francisco Coelho
"Esclarecimento"
2020-06-05
Carlos Silva Carlos Silva
"Reerguer a Economia Açoriana"
2020-06-04
ESTÁ AQUI:Media Center»Opinião
Cláudia Cardoso

Opinião

"O coelho e a cartola"

Cláudia Cardoso
2011-05-06

 

Passos Coelho não é o candidato por quem o PSD esperou. Com um ar de menino de coro prometeu uma corrida de fundo para a qual não tem fôlego. Miguel Relvas faz o que pode, desdobra-se em esclarecimentos e auxílios prontos, mas Passos apressa-se a defraudar as expectativas do seu mais próximo ajudante. O momento político ofereceu de bandeja um repasto que o ex-jovem laranjinha soube arruinar. As sondagens confirmam-no. Este momento não se repetirá. E Passos sai chamuscado. Pelos erros sucessivos. Pela postura frouxa. Pela abertura aos independentes que fez revolver os intestinos aos militantes mais distintos. Passos Coelho escondeu as suas propostas dos portugueses para consumo posterior. O que resulta disso é que apenas se sabe que há um plano de desmantelamento do estrado social que se suspeita por onde caminha, mas que não se assegura. As incertezas fazem dele e das suas decisões uma espécie de anti-herói. O último de quem o país poderia precisar neste momento. Porque se esforçou por demonstrar à saciedade o tecido de que são feitas as suas convicções, a inabilidade de que se serviria se chegasse a primeiro-ministro, e a sufocante hesitação nas decisões. Entre um céptico e um determinado quem devem escolher os portugueses? Não há na nova esperança do PSD senão tiros em ricochete e aflições de última hora. Passos Coelho já demonstrou aquilo de que é capaz. E não é surpreendente. Esta é uma corrida de fundo que não conseguiria disputar. Porque se perde nos pormenores, tropeça nos Nobres que escolhe para colocar no seu próprio caminho e vive acima das suas reais possibilidades. Dentro do partido faz-se baixinho o que acontece nestes casos: prepara-se o próximo. Todos esperavam de Passos Coelho o que ele demonstrou já não ser capaz de dar. Os portugueses não sabem ao certo o que pensa, mas pressentem o ultra-liberalismo duma agenda que ele não parece querer deixar cair.

 

Mais Artigos

Francisco Coelho Tele… Quê?



Lara Martinho Estabilizar para recuperar



Hernâni Bettencourt Um discurso marcante para uma missão hercúlea



José Ávila Quando falta palco



João Vasco Costa Do fastio



Francisco Coelho Esclarecimento



Carlos Silva Reerguer a Economia Açoriana



José Contente Da Autonomia



> >>

Arquivo Histórico do PS/Açores
PSA TV - Canal YouTube Ps/Açores

 
HomeNotícias | Media Center | Agenda | OpiniãoPartido | Presidente | Grupo Parlamentar ALRAA | Deputados AR | Deputados PE | Documentos | Links | Contactos
 
Sede Regional - Bairro da Vitória - Rua Dr. Armando Narciso, nº 5 – S. José - 9500-185 Ponta Delgada
Partido Socialista Açores © Todos os Direitos Reservados