Página Principal Presidente Presidente Honorário Partido Media Center Contatos Siga-nos!
 

Notícias PS/Açores

Vasco Cordeiro termina visita oficial ao Brasil com convívio com a comunidade açoriana do Rio de Janeiro


Vasco Cordeiro convida comunidades a conhecerem os Açores construídos ao longo dos últimos 40 anos


Relação entre os Açores e Santa Catarina lembra “necessidade de sermos orgulhosos e felizes por sermos Açorianos”, afirma Vasco Cordeiro


Vasco Cordeiro defende que relação entre Açores e Santa Catarina pode ser alargada a áreas como a Ciência e Investigação


Artigos de Opinião

Lara Martinho Lara Martinho
"45 anos do Partido Socialista"
2018-04-23
Dionísio Faria e Maia Dionísio Faria e Maia
"De Lá para Cá. O avião da carreira"
2018-04-23
Sónia Nicolau Sónia Nicolau
"Gerações de políticas de habitação"
2018-04-18
Lara Martinho Lara Martinho
"INVESTIMENTOS NOS AÇORES"
2018-04-15
Sónia Nicolau Sónia Nicolau
"Notas parlamentares: uma mão cheia de nada"
2018-04-12
Lara Martinho Lara Martinho
"Agricultura, Mar e claro o Facebook"
2018-04-08
Dionísio Faria e Maia Dionísio Faria e Maia
"De Lá para Cá. Desiguais"
2018-04-08
ESTÁ AQUI:Media Center»Opinião
Sónia Nicolau

Opinião

"Notas parlamentares: uma mão cheia de nada"

Sónia Nicolau
2018-04-12

 

Foram meses de promessa de um programa de emprego público para jovens qualificados. Os diferentes partidos aquando da campanha eleitoral duvidaram. E as dúvidas tinham razão de ser. PS e PCP votaram contra e o BE absteve-se.

A proposta eleitoral do PSD, Programa Gerações, foi uma mão cheia de nada. Apresentou-se como um programa voluntário de reformas para funcionários públicos com mais de 60 anos, em que o Governo Regional pagaria 50% da penalização por via da antecipação e que iria permitir a contratação de jovens.

A proposta, Programa Gerações, é um contrassenso ideológico, uma impossibilidade constitucional e o regresso do afrontamento intergeracional.

Em diferentes momentos, ouve-se a direita defender que a criação de emprego cabe ao privados e que o papel funcional do Estado deve reduzir-se, dando espaço ao privado que expandindo-se cria emprego. Esta premissa torna incompreensível esta proposta do PSD. É sabido que uma das razões para o alastramento do Estado é política. Se a esquerda sempre se afirmou maioritariamente por serviços prestados pelo Estado e daí poder resultar a necessidade de mais Governo, direta ou indiretamente, é um contrassenso ideológico o PSD, fã de menos Governo, mais privado, apresentar essa proposta à qual foi inexplicavelmente incapaz de calcular o seu custo, tendo o Governo que se substituir ao PSD: se todos os 2.486 funcionários públicos elegíveis aceitassem esta proposta, iriam perder, até ao fim da sua vida, 9.890.800€, o Governo Regional teria que desembolsar montante idêntico e outras implicações ao nível do sistema de pensões e de transferência de custos da República para o Governo Regional.

Foi “vendido” aos Açorianos que o Programa Gerações, permitiria empregar mais de 1200 jovens qualificados. Anúncio em junho de 2016. As normas regulamentares de contratação pública, assente em princípios constitucionais, não permitem a exclusão pelo factor idade. Facilmente se verifica que aquando da abertura de concurso, todo e qualquer cidadão poderia concorrer, até um com 59 anos e que poderia ser candidato ao Programa Gerações um ano depois; ou no caso de libertação de vagas de assistentes operacionais, que jovens qualificados iriam candidatar-se para estas funções?

Um afrontamento geracional. Passa, suave, suavemente, a ideia de que os jovens estão desempregados por causa daqueles que já deveriam estar reformados. Ideia perigosa. Em tempos houve, quem do mesmo partido, apelidasse os mais velhos de “peste grisalha”. Um país, uma Região, um Governo não pode dispensar os mais velhos. Precisa sim, também, de impulsionar a economia para criar mais emprego. Um Estado bem governado é um requisito prévio para a emancipação individual.

O PSD defende menos Governo, mais privado e ao mesmo tempo mais emprego público. Uma contradição perigosa, de uma mão cheia de nada, que os Açorianos não “compraram”. O Povo sabe!

 

Mais Artigos

Lara Martinho 45 anos do Partido Socialista



Dionísio Faria e Maia De Lá para Cá. O avião da carreira



Sónia Nicolau Gerações de políticas de habitação



Lara Martinho INVESTIMENTOS NOS AÇORES



Sónia Nicolau Notas parlamentares: uma mão cheia de nada



Lara Martinho Agricultura, Mar e claro o Facebook



Dionísio Faria e Maia De Lá para Cá. Desiguais



José Contente Ecossistema e IA



> >>

Arquivo Histórico do PS/Açores
PSA TV - Canal YouTube Ps/Açores

 
HomeNotícias | Media Center | Agenda | OpiniãoPartido | Presidente | Grupo Parlamentar ALRAA | Deputados AR | Deputados PE | Documentos | Links | Contactos
 
Sede Regional - Bairro da Vitória - Rua Dr. Armando Narciso, nº 5 – S. José - 9500-185 Ponta Delgada
Partido Socialista Açores © Todos os Direitos Reservados