Página Principal Presidente Presidente Honorário Partido Media Center Contatos Siga-nos!
 

Notícias PS/Açores

Governo cria novos programas para reforçar diversificação agrícola nos Açores, anuncia Vasco Cordeiro


Comité das Regiões aprova propostas de Vasco Cordeiro para garantir taxas de financiamento comunitário na PAC


Deputados dos Açores destacam compromisso com o Quartel do Carmo


Lara Martinho pede a comissária europeia manutenção da taxa de cofinanciamento para as RUP


Artigos de Opinião

Lara Martinho Lara Martinho
"GESTÃO DO MAR"
2018-12-08
Mónica Rocha Mónica Rocha
"Agricultura açoriana evolui e aposta no futuro"
2018-12-06
Isabel Quinto Isabel Quinto
"Respostas sociais reforçadas com Plano e Orçamento para 2019"
2018-12-06
Sónia Nicolau Sónia Nicolau
"A melhor proposta para os professores!"
2018-12-06
José Contente José Contente
"PS Melhor"
2018-12-05
Lara Martinho Lara Martinho
"3 ANOS DE GOVERNO e o 4º ORÇAMENTO DO ESTADO APROVADO"
2018-12-03
Ricardo Serrão Santos Ricardo Serrão Santos
"O futuro da agricultura"
2018-11-30
ESTÁ AQUI:Media Center»Opinião
Dionísio Faria e Maia

Opinião

"De Lá para Cá. Gerontocómios"

Dionísio Faria e Maia
2018-04-04

 

Existem pelo menos duas formas de solidão: a solidão escolhida que permite estar só; e a solidão imposta, o isolamento de que se sofre quando os outros, que gostaríamos de ver, não estão presentes. Assim abordam Yves Gineste e Jèrome Pellissier as mudanças sociais associadas à institucionalização, no seu livro “Humanitude. Cuidar e Compreender a Velhice”.
Sob o eufemismo de Lar de Idosos ou de Residências Assistidas, proliferam com uma pressão social cada vez maior os gerontocómios. Sob o pretexto de cuidarmos dos velhos, entregamo-los a outros para o efeito.
Os políticos, de preferência na oposição, e outras “forças” sociais associadas aos media, reclamam mais Lares para uma população idosa em crescendo, como se a inevitabilidade de acabarmos todos em gerontocómios fosse um “must” civilizacional.
Estamos a envelhecer, mas o que aconteceu aos lares onde se constituíram famílias, criaram filhos e brotam netos, numa esperança geracional posta pelos sacrifícios e projetos de vida melhores para a geração seguinte?
Até podemos atribuir a culpa à emigração que esvaziou gerações jovens e deixou pais que agora no abandono e na velhice, mais não têm que um património imóvel velho como eles e inadequados; duplamente vulneráveis, porque sem meios adequados e sem alguém que solidariamente, obrigatoriamente até, como o são os filhos, não lhes podem proporcionar o apoio necessário porque não estão presentes.
Até podemos atribuir outras causas como as dos que têm de trabalhar longe de casa, muito ocupados com o cuidar dos filhos, com o pagamento da casa que compraram com juros a 40 anos e a pagar o carro, a TV e a internet; e que não têm tempo, nem espaço para minimizar a solidão e a perda de autonomia dos pais.
Sabe-se que nem sempre é assim. Que há quem se preocupe e quem se sacrifique. Que há quem não faz mais pelos seus velhos, porque não pode. Bem hajam!
Mas fazer mais é o quê? Facilitar a institucionalização ou promover ajudas em ambiente comunitário, adequando as ajudas ao grau de incapacidade, mantendo as referências e a identidade sempre que possível, no seu ambiente, num tempo e num espaço que são as fronteiras entre o querer físico e o poder da mente.
Mais Lares ou mais família, mais apoio comunitário ou mais gerontocómios, com regras, horas para levante, higiene e alimentação e até para visitação; mais solidão ou outro tipo de solidão?
É importante que a sociedade exija menos as soluções mais fáceis, principalmente se as facilitarmos como escolha. Os velhos não são propriedade do Estado. Têm origens, descendentes e responsáveis por eles, pelo menos na mesma medida em que eles se responsabilizaram pelas gerações futuras.
E, se assim não puder ser, a solidariedade social, esta competência do Estado e da Região, deve poder encontrar outras respostas.

 

Mais Artigos

Lara Martinho GESTÃO DO MAR



Mónica Rocha Agricultura açoriana evolui e aposta no futuro



Isabel Quinto Respostas sociais reforçadas com Plano e Orçamento para 2019



Sónia Nicolau A melhor proposta para os professores!



José Contente PS Melhor



Lara Martinho 3 ANOS DE GOVERNO e o 4º ORÇAMENTO DO ESTADO APROVADO



Ricardo Serrão Santos O futuro da agricultura



Lara Martinho PROPOSTAS DO PS



> >>

Arquivo Histórico do PS/Açores
PSA TV - Canal YouTube Ps/Açores

 
HomeNotícias | Media Center | Agenda | OpiniãoPartido | Presidente | Grupo Parlamentar ALRAA | Deputados AR | Deputados PE | Documentos | Links | Contactos
 
Sede Regional - Bairro da Vitória - Rua Dr. Armando Narciso, nº 5 – S. José - 9500-185 Ponta Delgada
Partido Socialista Açores © Todos os Direitos Reservados