Página Principal Presidente Presidente Honorário Partido Media Center Contatos Siga-nos!
 

Notícias PS/Açores

“Autonomia é uma das grandes histórias de sucesso do Portugal democrático”, garante Vasco Cordeiro


Parcerias são a trave-mestra do apoio social prestado aos Açorianos, afirma Vasco Cordeiro


Vasco Cordeiro anuncia cursos de formação no setor turístico em todas as ilhas


PS congratula-se com aprovação de iniciativa sobre a ampliação do aeroporto da Horta


Artigos de Opinião

Lara Martinho Lara Martinho
"QUAL O ESTADO DA NAÇÃO?"
2018-07-14
José Contente José Contente
"Educação parental chegou a 2500 pessoas"
2018-07-18
Ricardo Serrão Santos Ricardo Serrão Santos
"POSEI: Phill Hogan, “um passito para trás”"
2018-07-14
Sónia Nicolau Sónia Nicolau
"Negociação não é rendição"
2018-07-11
Lara Martinho Lara Martinho
"DESCONTAMINAÇÃO, UM CAMINHO RECONHECIDO PELA OPOSIÇÃO"
2018-07-07
José Contente José Contente
"Pathos, ethos e logos"
2018-07-06
Sónia Nicolau Sónia Nicolau
"Zonas Balneares: entre os 0% e os 100%"
2018-07-03
ESTÁ AQUI:Media Center»Opinião
Dionísio Faria e Maia

Opinião

"Sentidos Únicos"

Dionísio Faria e Maia
2017-12-22

 

Na vida existem sentidos para as coisas e coisas que fazem sentido.
Os “cruzamentos, os caminhos e as voltas” que a vida tem coexistem nesta via sem retorno, rápida por vezes, aparentemente lenta noutras, mas inexoravelmente em sentido único que nos conduz por territórios de sensações e emoções únicas, não reprodutíveis.
A tendência para repetir as glórias e os erros obedecem a este sentido da vida que é
único e que nos impede inverter a sua marcha.
Faz isso de novo! Dizemos, como se a experiência humana na plenitude do sensório fosse reproduzível. Fazemos vezes sem conta uma coisa, mas não fazemos nunca do mesmo modo, a mesma coisa.
Estes sentidos únicos, formas únicas de vivermos o presente, levam-nos à sensação estranha de que já tendo vivenciado um momento, nenhum outro é igual.
Não devemos por isso regressar ao sítio onde fomos felizes com a intenção de aí termos a mesma felicidade, mas chegar lá de novo, como se em sentido único procurássemos outra forma de felicidade.
Na vida os reencontros acontecem nos momentos onde também em sentidos únicos nos encontramos, numa tangente de sensações também elas únicas.
Cruzarmo-nos, não é o mesmo que encontrarmo-nos; porque existem prioridades; as nossas e as dos outros. É por isso que caminhar lado a lado só acontece quando nos tocamos no mesmo sentido.
No Natal, nesta época especial pela via da magia do ambiente de partilhas, de reencontros, de afetos e saudades, confrontamo-nos mais vezes com o outro, tocamo-nos mais no mesmo sentido da necessidade da solidariedade.
Talvez por isso; deste imperativo de alargar esta necessidade de partilha, mesmo dos afetos, se deseje que o Natal seja quando um homem quiser.
É este o Natal que vos desejo; necessariamente feliz.

 

Mais Artigos

Lara Martinho QUAL O ESTADO DA NAÇÃO?



José Contente Educação parental chegou a 2500 pessoas



Ricardo Serrão Santos POSEI: Phill Hogan, “um passito para trás”



Sónia Nicolau Negociação não é rendição



Lara Martinho DESCONTAMINAÇÃO, UM CAMINHO RECONHECIDO PELA OPOSIÇÃO



José Contente Pathos, ethos e logos



Sónia Nicolau Zonas Balneares: entre os 0% e os 100%



Lara Martinho O Poder da nossa comunidade nos EUA



> >>

Arquivo Histórico do PS/Açores
PSA TV - Canal YouTube Ps/Açores

 
HomeNotícias | Media Center | Agenda | OpiniãoPartido | Presidente | Grupo Parlamentar ALRAA | Deputados AR | Deputados PE | Documentos | Links | Contactos
 
Sede Regional - Bairro da Vitória - Rua Dr. Armando Narciso, nº 5 – S. José - 9500-185 Ponta Delgada
Partido Socialista Açores © Todos os Direitos Reservados