Página Principal Presidente Presidente Honorário Partido Media Center Contatos Siga-nos!
 

Notícias PS/Açores

Lançamento do concurso público para o Space Port é “passo importante e concreto” num projeto que trará benefícios para Santa Maria e para os Açores


Vasco Cordeiro anuncia criação de mais de 150 novas vagas em lares de idosos


Riqueza produzida na Região aumentou mais cerca de 600 milhões de euros em quatro anos, afirma Vasco Cordeiro


Investimento no Porto do Corvo é exemplo concreto de coesão colocada ao serviço dos Açorianos, garante Presidente do Governo


Artigos de Opinião

Hernâni Bettencourt Hernâni Bettencourt
"O Rio corre sempre para o mar…"
2019-03-25
Lara Martinho Lara Martinho
"PORTUGAL SPACE"
2019-03-25
Francisco Coelho Francisco Coelho
"Círculo de pares"
2019-03-25
José Contente José Contente
"Paroquiais"
2019-03-20
Sónia Nicolau Sónia Nicolau
"Primeiro a chico-espertice, depois a desconsideração"
2019-03-20
Mónica Rocha Mónica Rocha
"CERTIFICAÇÃO E FLUXOS TURÍSTICOS"
2019-03-20
Hernâni Bettencourt Hernâni Bettencourt
"Um futebólogo no meio de politólogos"
2019-03-18
ESTÁ AQUI:Media Center»Opinião
Francisco César

Opinião

"Este país não é para rapazes "

Francisco César
2010-09-26

 

Basta ligar uma televisão ou a rádio para perceber a balbúrdia que se passa no país. A total falta de confiança nas instituições internacionais e nacionais que analisam e divulgam indicadores económicos sobre o nosso país, associados à tremenda irresponsabilidade verbal do nosso Governo, oposição parlamentar e comunicação social pode deixar o nosso país a beira da catástrofe económica e social.

Uma das primeiras coisas que se aprendi em Economia, é que os agentes económicos para poderem fazer uma escolha racional necessitam deter informação em qualidade ou em quantidade suficiente para o mercado verdadeiramente funcionar. Ora em Portugal reina, actualmente, um autêntico caos na gestão da informação económica. Não sabemos verdadeiramente, qual o nível dos prejuízos das empresas públicas, qual o nível de endividamento das autarquias e das suas empresas municipais e quais são as verdadeiras necessidades de financiamento externo para executar o Orçamento de Estado de 2010 dentro das metas impostas pela União Europeia.

Na última semana, assistimos a um conjunto de notícias sobre a economia portuguesa, que pode deixar, o mais calmo, analista financeiro, à beira de um ataque de nervos. O Ministro das Finanças começou por anunciar que iria cumprir ou melhorar o número do défice previsto no Orçamento de Estado, o Ministro das Obras públicas adiou a construção do TGV para o Estado não absorver todo o crédito bancário do país, a venda da nossa divida no exterior foi anunciada pela comunicação social da seguinte forma - “juros recorde na venda da dívida portuguesa”, “baixam os juros na venda da divida portuguesa”, “FMI prepara-se para entrar Portugal” e “FMI nega intervenção na economia português”.

Mas infelizmente este frenesim mediático não terminou. No final da semana, o Ministro das Finanças, contrariando totalmente o que tinha dito antes, referiu não saber se a receita será suficiente para cobrir o défice e irresponsavelmente, alguns jornais anunciaram que o 14 mês de salário provavelmente não seria pago, penalizando, assim, o consumo interno das famílias e assustando os restantes agentes económicos na sua vontade de investimento.

Como tudo isso já não fosse suficiente mau, a recente troca agressiva de declarações de dirigentes do PS e do PSD, como se estivessem numa brincadeira de crianças, põem em risco a aprovação do Orçamento de Estado de 2011 e a continuação do actual Governo em funções.

Ora a confiança na informação que nos é disponibilizada é fundamental para qualquer cidadão ou empresa poder planificar todas as suas acções. Sem sabermos que impostos vamos pagar, que serviços do Estado existirão para nos servir, qual o nível de acesso ao crédito bancário ou até que investimentos o Governo irá realizar no próximo ano, nenhum empresário terá confiança para investir na nossa terra.

Se existiu, na história recente de Portugal, momento em que o bom-senso e o sentido de bem comum foram convocados com mais intensidade, é este mesmo o que vivemos. Caso os políticos portugueses não cumpram estes princípios básicos, Portugal corre o sério risco de ter de reescrever a sua história. A negro!

 

Mais Artigos

Hernâni Bettencourt O Rio corre sempre para o mar…



Lara Martinho PORTUGAL SPACE



Francisco Coelho Círculo de pares



José Contente Paroquiais



Sónia Nicolau Primeiro a chico-espertice, depois a desconsideração



Mónica Rocha CERTIFICAÇÃO E FLUXOS TURÍSTICOS



Hernâni Bettencourt Um futebólogo no meio de politólogos



André Bradford Dar Força aos Açores na Europa



> >>

Arquivo Histórico do PS/Açores
PSA TV - Canal YouTube Ps/Açores

 
HomeNotícias | Media Center | Agenda | OpiniãoPartido | Presidente | Grupo Parlamentar ALRAA | Deputados AR | Deputados PE | Documentos | Links | Contactos
 
Sede Regional - Bairro da Vitória - Rua Dr. Armando Narciso, nº 5 – S. José - 9500-185 Ponta Delgada
Partido Socialista Açores © Todos os Direitos Reservados