www.psacores.org


Resultados concretos comprovam “profunda mudança estrutural” registada no setor vitivinícola, destaca Vasco Cordeiro

O Presidente do Governo destacou hoje a “profunda mudança estrutural” registada nos últimos anos no setor vitivinícola regional, conforme comprovam os resultados concretos verificados no aumento do número de produtores, dos hectares de produção e de vinhos dos Açores certificados. 


“Nos últimos anos, aumentou o número de produtores, aumentaram os hectares de produção de vinhos certificados, aumentou a produtividade, bem como a valorização das uvas, isso tudo acompanhado de um crescente e vigoroso espírito empreendedor e empresarial”, afirmou Vasco Cordeiro, que falava no lançamento do Vinho 'Pedras Brancas 2018', da Adega e Cooperativa Agrícola da Graciosa. 


Segundo disse, a mudança estrutural verificada neste setor pode ser aferida pelo número de produtores, que mais do que duplicou desde 2012, passando de 246 para os atuais 517.


“Também em termos de área, o crescimento foi muito significativo, tendo a Região passado de 197 hectares em 2012 para os atuais mais de 1.000 em produção de vinha certificada, cerca de 800 dos quais recuperados através do programa VITIS, na sua maioria entre 2014 e 2018”, sublinhou Vasco Cordeiro, no primeiro de três dias da visita do Governo à Graciosa. 


De acordo com o Presidente do Governo, o setor vitivinícola soube também acompanhar as tendências dos consumidores, cada vez mais exigentes na qualidade e mais conhecedores do que consomem, tendo em conta que, atualmente, existem mais de quatro dezenas de vinhos açorianos certificados, cerca de uma dezena de novos vinhos só em 2019, que são da responsabilidade dos mais de 20 operadores económicos deste setor. 


“Este crescimento exponencial deve-se, em larga medida, à visão e à capacidade empreendedora dos nossos viticultores que souberam aproveitar os apoios concedidos ao abrigo do programa VITIS, que já permitiu realizar investimentos de cerca de 21 milhões de euros”, enalteceu Vasco Cordeiro, ao salientar que o Governo pretende aproveitar ainda mais o potencial deste setor para criar riqueza e emprego e para ajudar as explorações da Região. 


Foi nesse sentido que, no final de 2019, foi aberto um novo aviso, no valor de quatro milhões de euros, que dará prioridade aos projetos de reconversão nas ilhas Graciosa, Terceira, São Jorge, Faial, São Miguel e Santa Maria, todas elas com grande potencial vitivinícola, referiu. 


Na sua intervenção, o Presidente do Governo considerou ainda que um dos desafios passa, agora, por tornar cada vez mais conhecido este trabalho a nível internacional, anunciando, nesse sentido, a realização, a 18 e 19 de abril, do I Fórum da Vinha e do Vinho, na ilha do Pico, um evento que juntará a produção, a transformação, enólogos e comunicação social especializada. 


Depois de recordar que esteve presente, em julho de 2018, na inauguração das obras de requalificação da Adega e Cooperativa Agrícola da Graciosa, que contaram com o apoio do Executivo, Vasco Cordeiro considerou ser “motivo de satisfação acrescida” verificar que os agricultores da ilha “agarraram esta oportunidade e transformaram o potencial destas novas instalações no início de um trajeto que comprova o acerto das apostas que foram feitas”. 


Com uma produção total de perto de cinco mil garrafas em 2018, o vinho 'Pedras Brancas', certificado como Denominação de Origem (DO), está a ser comercializado na ilha Graciosa, mas também em São Miguel, na Terceira, no Faial e no Pico, para além do continente português.


(GaCS)

2020-02-19 15:26:39 PS AÇORES - WWW.PSACORES.ORG